CRIME: A PF GRAVOU DILMA E LULA APÓS MORO INTERROMPER INTERCEPTAÇÃO TELEFÔNICA.

A interceptação telefônica, feita pela Polícia Federal, que gravou a conversa entre a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi realizada duas horas após o juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, ter determinado a suspensão das interceptações telefônicas sobre Lula.

Desta forma, o Sr. Moro, juiz de primeiro grau e obviamente sem poderes legais para tal, não apenas fez grampear a Presidenta da República, o advogado de Lula, mas tronou públicas gravações ilegais. Veja:

A decisão de Moro que determina o fim das interceptações ao ex-presidente foi juntada ao processo judicial às 11h12 desta quarta-feira (16). O juiz determina que a Polícia Federal seja comunicada da decisão “com urgência, inclusive por telefone”, diz o texto do despacho.

em-despacho-das-11h22-da-quinta-16-o-juiz-sergio-moro-solicita-a-interrupcao-da-interceptacao-dos-telefones-do-ex-presidente-luiz-inacio-lula-da-silva-1458171817965_615x300

Às 11h44, em outro despacho, a diretora de Secretaria Flavia Cecília Maceno Blanco escreve que informou o delegado sobre a interrupção.

“Certifico que intimei por telefone o Delegado de Polícia Federal, Dr. Luciano Flores de Lima, a respeito da decisão proferida no evento 112”, diz o documento.

O evento 112 refere à decisão de interromper as interceptações telefônicas do ex-presidente. Neste despacho, Moro afirma que não há mais necessidade das interceptações, pois as ações de busca e apreensão da 24ª fase da Lava Jato já foram realizadas.

“Tendo sido deflagradas diligências ostensivas de busca e apreensão no processo 5006617-29.2016.4.04.7000, não vislumbro mais razão para a continuidade da interceptação”, diz o despacho, assinado pelo juiz.

A conversa entre Lula e Dilma foi gravada pela Polícia Federal às 13h32, segundo consta em relatório encaminhado ao juiz.

Luciano Flores de Lima, o delegado que foi avisado pela manhã por Moro do fim do grampo, é o que manda juntar nos autos o áudio feito às 13h32. Também é o mesmo que interrogou Lula no dia 4 de março.

Às 13h32, as interceptações continuavam. Lula e Dilma Rousseff conversam. O conteúdo foi vazado no final da tarde da quarta (16)

Ao final da tarde o Sr. Moro realizou o levantamento do segredo de justiça. Estava montado o cenário para o vazamento, para o Jornal Nacional da Globo e a convocatória às manifestações golpistas.

Assim, um crime foi cometido para que outro seja possível: o golpe e a deposição da presidenta Dilma Roussef.