Mais de 30 ônibus já estão a caminho do Acampamento da Resistência em Curitiba

 "É uma vigília permanente, não tem data nem hora pra terminar", disse Regina Cruz, presidenta da CUT-PR - Créditos: Gibran Mendes

Pouco depois do anúncio de que o ex-presidente Lula se apresentaria às autoridades da operação Lava Jato, apoiadores do ex-presidente começaram a se reunir nos arredores da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR). Eles atendem ao chamado feito pela Frente Brasil Popular para a montagem de um acampamento que ficará em vigília permanente em defesa da democracia e pela liberdade de Lula.

Regina Cruz, presidenta estadual da Central Única dos Trabalhadores (CUT/PR) disse que as organizações populares garantirão a estrutura necessária para estar em vigília permanente. “A mobilização está bonita. Já temos uma estrutura de barraca. Muitos companheiros aqui do bairro estão ajudando, abrindo a porta das suas casas. Temos água, comida, nada vai faltar para os companheiros e companheiras. É uma vigília permanente, não tem data nem hora pra terminar. Esse pessoal que está aqui hoje já não sai mais daqui e vai ficar por tempo indeterminado”, afirmou.

Regina também confirmou a informação de que nas próximas horas cerca de 30 ônibus com militantes sociais se somarão à vigília em Curitiba.

“Várias caravanas estão vindo. Amanhã, cerca de 20 a 30 ônibus vão chegar. Na região toda sul vai se concentrar aqui no estado do Paraná e já estão a caminho”, afirmou.

Um outro grupo, em menor quantidade de pessoas, vestidos com camisas da seleção brasileira e bandeiras do Brasil, se concentrou em outra entrada do prédio da PF.

Duas barreiras policiais dividem os manifestantes. Segundo o Dr. Rosinha, presidente estadual do PT, as autoridades estaduais se comprometeram em garantir a segurança e integridade de todos os manifestantes.

“Nós definimos a vigília ontem. Respeitaram a nossa solicitação do espaço para que pudéssemos fazer nosso ato. Então a gente espera que nossa atividade seja respeitada, até porque esse ato aqui é um ato pacífico”, disse.

Segundo o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) as caravanas irão se revezar durante as semanas, para que o acampamento se mantenha. “Quem está aqui é o presidente Lula. Um gigante da política. Todo mundo da nossa militância vai vir para Curitiba”, afirmou.

A convocatória da vigília permanente foi lançada pelo dirigente do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e acolhida pelas organizações de esquerda que compõem a Frente Brasil Popular.

Com Brasil de Fato