Albert Woodfox: libertado depois de 43 anos na solitária.

No dia 19 de fevereiro de 2016, depois de haver passado mais de 43 anos em prisão sob images (4)regime de confinamento solitário de 23 horas diárias numa cela de 02 metros quadrados,  mais que qualquer pessoa nos Estados Unidos, Albert Woodfox,  foi libertado da prisão em Louisiana.

Woodfox, saiu em liberdade na sexta-feira depois de, no marco de um acordo com o Estado de Louisiana, realizar uma declaração de que não apelará das acusações de homicídio culposo e furto a guarda da penitenciaria a mais de 40 anos. Antes do acordo de sexta-feira, sua condenação já havia sido revogada três vezes.

Woodfox cumpria  condenação a 05 anos de prisão na Penitenciaria do Estado de Louisiana, na cidade de Angola por roubo a mão armada quando, em 1972, ele e outro preso, Herman Wallace, foram acusados durante uma rebelião na prisão de apunhalar ao agente penitenciário Brent Miller.

images (6)Os presos sempre alegaram inocência e afirmaram que foram acusados e condenados por denunciarem as terríveis condições da prisão bem como, organizarem o Partido Pantera Negra, organização fundada em 1966 para defender os direitos dos negros norte-americanos, na penitenciaria.

Woodfox, Wallace e Robert King, se tornaram conhecidos como os Três de Angola. Durante décadas, a Anistia Internacional e outros grupos realizaram campanhas para que fossem libertados.

Woodfox era o último membro do grupo que segui preso. Em 2001, havia sido revogada a condenação de Robert King. Herman Wallace foi libertado em 2013, apenas alguns dias antes que falecesse de câncer.

Fonte: Democracy Now