Policia Invade Sindicato dos Metalúrgicos do ABC

 Durante ato chamado pela executiva municipal do Partido dos Trabalhadores de Diadema, em solidariedade ao ex-prefeito José Filippi e ao ex-presidente Lula, com mais de 2 mil militantes e simpatizantes do PT, houve uma invasão do Policia Militar paulista a sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC em Diadema.

O comandante tenente Marinho, acompanhado do soldado Ricardo, do 24º Batalhão da Polícia Militar invadiram a sede do Sindicato armados com revólveres e metralhadora  sem qualquer chamado, sem qualquer mandado, intimidando os presentes. Após desastrosa ação dos policiais, a rua foi cercada por viaturas da Polícia Militar.

Estiveram no ato o deputado federal Vincentinho e os deputados estaduais Luiz Fernando, Luiz Turco e Teonilio Barba.

“Essa ação remete à época da ditadura, onde o exército e a Polícia Militar invadiam ambientes, lares, sindicatos, etc, sem mandados, prendendo e intimidando as pessoas. Não podemos tolerar tal arbitragem. Segunda-feira, dia 14, nós da Bancada do Partido dos Trabalhadores vamos fazer uma representação ao Governador denunciando a invasão e o desrespeito do tenente com a diretoria sindical e todos os presentes. Os policiais militares feriram todas as normas da Polícia ao entrar num ambiente, inclusive com mulheres, crianças e idosos, portando armas de fogo”, disse o deputado Luiz Fernando.

Nota do Sindicato

 O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, consciente de sua responsabilidade pela abacmanutenção e aprimoramento do Estado Democrático de Direito que, com a intensa e permanente dedicação de todos os seus Membros, ajudou a estabelecer em nosso País, reprova as ações policiais registradas em sua sede de Diadema.

Ressalta que essa entidade sindical coopera para a consecução do bem comum, que abrange a dignidade da pessoa humana, a provisão das necessidades dos indivíduos e a consolidação de uma ordem jurídica justa, estável e segura. Enfatiza que o valor social do trabalhismo e o pluralismo político são fundamentos republicanos (art. 1º, CF).

Como as demais instituições responsáveis pela construção de uma sociedade livre, justa e solidária, busca o desenvolvimento nacional, especialmente com a superação pacífica e racional de crises, visando a erradicação da pobreza, da marginalização, do preconceito e das desigualdades sociais (art. 3º, CF).

São garantias invioláveis de todos, os recintos particulares e o direito de reunião das pessoas, até como natural expansão da sociabilidade humana (art. 5º, incs. XI e XVI, CF).

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC reprova os excessos das autoridades policiais que, ferindo o princípio constitucional da proporcionalidade, sem causa devida, violam os direitos e as garantias da intangibilidade dos locais particulares e da reunião das pessoas, colocando em risco a ordem pública, e insta o Poder Executivo Estadual a manter as suas forças policiais nos estritos limites da legalidade, contendo e corrigindo os abusos ocorridos e noticiados pela mídia.

 Sindicato dos Metalúrgicos do ABC

 São Bernardo do Campo, 12 de março de 2016